Blog



Volta às aulas: alívio que deixa um gostinho de quero mais

Fim das férias: alívio que deixa um gostinho de “quero mais”

Fim de férias escolares das crianças. Atirem a primeira pedra os pais que não se sentem aliviados no domingo à noite, véspera do reinicio das aulas dos filhos. A gente fica em contagem regressiva para a rotina voltar ao normal. De fato, estar com a crianças em casa em tempo integral, durante mais de um mês, mexe com a vida de qualquer pai ou mãe. Sim, eu dou um suspiro ao pensar que, a partir de segunda-feira, quando a pequena aqui de casa volta às aulas, os horários serão novamente cumpridos, as refeições serão quando a gente espera que sejam e o sono vai pintar bem mais cedo do que ele tem vencido as batalhas, toda noite. Mas, ainda que aliviada, não posso deixar de celebrar as férias e reconhecer o quanto esse período do ano é bacana – se não tanto para nós, os pais, muito para elas, as crianças.

Posso apostar que nenhum pequeno volta para as aulas o mesmo que saiu. Já li vários estudos que listam algumas razões por que isso acontece. Um deles, da Academia Norte-Americana de Pediatria, concluiu que as férias mais longas (essas de verão) preparam a criança para novos conteúdos e as deixam mais dispostas para o aprendizado. Mas, por aqui, senti muitos outros benefícios – e bem mais divertidos.

A rotina (a falta dela, na verdade) foi pauleira, porque trabalho em casa e não consegui tirar férias oficialmente, então o trabalho ficou um tanto caótico. Mas o fato de ter a pequena comigo em tempo integral me obrigou a relaxar um pouco com minhas próprias cobranças e horários. Muitas vezes, deixava para sentar no computador durante as madrugadas e, para ir com ela para a praia, ainda que por apenas cinco dias, virei uma delas acordada para deixar vários textos que eu precisava entregar prontos. Sim, eu tenho o privilégio de poder fazer meu próprio horário e não depender de chefe. Mas, mesmo se não tivesse, teria de sambar para dar meu jeito. As férias das crianças nos obrigam a isso.

A verdade é que, ao readaptar nossos horários para darmos conta deles em casa, muita coisa bacana acontece. Temos mais tempo para fazer reflexões e observar coisas que a rotina corrida nos impede de fazer. Ficamos mais junto, brincamos mais, fazemos um bolo em dia que não era de bolo, olhamos menos para o relógio, vamos ao cinema... Ao ocuparmos o tempo deles, ocupamos mais o nosso tempo com eles. E isso é delicioso, ainda que trabalhoso para caramba.

 

Ana Paula Alfano


Artigos por mês



Principais assuntos